E-mail

contato@radarmt.com

WhatsApp

(66) 99986.5406

Tropical - TOPO
PREF. ROO - IPTU - 728 X 90 - TOPO
GOV MT - TOPO - 728 X 90 - QUEIMADAS
SEM SURPRESAS

Com 20 votos, chapa Max-Botelho é eleita para comandar a AL até 2023

Dois deputados não votaram, um foi contra e o deputado Valdir Barranco, internado, não votou

23/02/2021 21h10Atualizado há 1 semana
Por: Redação
Fonte: FolhaMax

O deputado estadual Max Russi (PSB) acaba de ser eleito como novo presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Ele terá o ex-presidente da Casa, deputado Eduardo Botelho (DEM), como primeiro-secretário.

A chapa ainda conta com Dilmar Dal Bosco (DEM), na 1ª vice-presidência; Wilson Santos (PSDB), na 2ª vice-presidência; Janaína Riva (MDB), na 2ª secretaria; Claudinei Lopes (PSL), na 3ª secretaria; e Allan Kardec (PDT), na 4ª secretaria.

 

Ao todo, a chapa Max-Botelho recebeu 20 votos. Houve um voto contrário, dois em branco e a ausência do deputado Valdir Barranco (PT), que está internado na UTI do Hospital Incor, com quadro grave de Covid-19. O petista, que ocupava a 2ª secretaria durante a gestão de Botelho, foi “homenageado” com o nome da chapa vitoriosa.

A nova eleição da Mesa Diretora ocorreu por determinação do ministro Alexandre Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele acatou representação da Rede Sustentabilidade, que contestou o terceiro mandato consecutivo de Eduardo Botelho como presidente do Legislativo Estadual.

 
 

Após a decisão, dada na tarde de ontem, o então presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, descartou impetrar com recurso e marcou a eleição para às 19 horas desta terça. Com isso, foram iniciadas as articulações para eleição da Nova Mesa Diretora.

Desde o início, o nome de Max surgiu como mais forte para comandar a Casa, com Botelho de 1º secretário. Restava definir apenas os demais cargos, o que foi finalizado ainda na manhã de hoje.

Após a posse da Mesa, alguns parlamentares subiram a tribuna para explicar sobre como ocorreu a composição, bem como o que se espera dos novos dirigentes do Legislativo.

Eduardo Botelho, que presidiu a Assembleia por 4 anos consecutivos, disse que a mudança é importante para os trabalhos da Casa. “Para oxigenarmos, entusiasmo. Com muita honestidade, muita seriedade, vamos estar exercendo esta função que vocês estão nos confiando”, explicou.

Apesar de ter deixado a presidência do parlamento por força de uma decisão do STF, Botelho garante estar “calmo e tranquilo”. “É motivo de felicidade o que está acontecendo hoje. Ninguém é dono de nada. Não sou dono do cargo. Se tem uma pessoa que não se esnoba com poder, sou eu. Vou continuar sendo o mesmo Botelho”

Ele tranquilizou os servidores do Legislativo, garantindo que a gestão de será de continuidade e sem grandes  mudanças. “Somos uma equipe trabalhando sempre bem combinado. Não tem desacordo nenhum entre eu, Max, Janaína. Nada vai acontecer de tão diferente”.

Wilson Santos e Janaína Riva usaram a tribuna para rasgar elogios a Botelho. Segundo o tucano, o ex-presidente deixa um legado de transparência no Legislativo estadual. “O presidente Botelho encerrou os mensalinhos nessa Assembleia de Mato Grosso”, frisou.

Já Janaína Riva, que era a 1ª vice-presidente, enalteceu o perfil de Botelho. “Vossa Excelência me ensinou muito e sei que estou preparada para ser presidente da Assembleia”.

“ELEIÇÃO FÁCIL”

Já Max Russi, citou que apesar de apenas 24 horas para marcar e realizar a votação, a eleição interna no Legislativo “foi fácil”. Segundo ele, isso é fruto do trabalho da Mesa Diretora desde o último biênio, que ganhou a confiança dos deputados e da população mato-grossense.

“Você tem que ter orgulho Botelho. Essa Assembleia devolveu dinheiro, mais de R$ 100 milhões, e não deixou de prestar serviços a toda população mato-grossense”, falou.

Ele ainda enalteceu o ex-presidente e agora primeiro-secretário do Legislativo. “Você sai nenhum operação, sem nada que desabonasse seu mandato. Vou me inspirar muito nessa forma que você conduziu a Assembleia”.

BARRANCO

Os deputados que subiram à tribuna também explicaram a situação do deputado Valdir Barranco. Eduardo Botelho afirmou que o petista não está na composição da Mesa Diretora por uma questão se segurança jurídica. 

“Fizemos consulta jurídica e não poderíamos arriscar a eleição da Mesa porque ele não pode assinar. Na eleição passada, deputado Barranco tinha um voto só, foi abandonado pelos seus colegas de partido, mas nós o mantivemos na eleição passada e ele seria mantido hoje. Mas infelizmente, foi acometido por essa doença terrível. Mas tenho fé que ele vai sair de lá e vai entender essa situação”, colocou.

Janaína Riva afirmou que o deputado Allan Kardec, eleito 4º secretário, admitiu até renunciar ao cargo na Mesa para dar lugar ao petista assim que ele voltar.

Já o novo presidente do Legislativo, Max Russi, afirmou que o “retorno” de Barranco à Casa de Leis é um dos seus principais pedidos. “Quero que ele, e todas as pessoas que estão com a Covid se recuperem e retornem suas vidas ao normal”, afirmou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.