E-mail

contato@radardacidade.com.br

WhatsApp

............

Tropical - TOPO
COMBATE A COVID

MT projeta vacinar 1,9 mi de pessoas; idosos, médicos e indígenas terão prioridade

Estado pretende adquirir 500 mil doses da Coronavac; restante seria complementado pelo Ministério da Saúde

07/01/2021 15h43
Por: Redação
Fonte: FolhaMax

A secretária de Estado de Saúde em exercício, Danielle Carmona, espera que 1,9 milhão de pessoas em Mato Grosso sejam vacinadas como forma de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19).

Em sabatina realizada pelos deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na manhã desta quinta-feira (7), a secretária em exercício também revelou que o Governo do Estado manifestou interesse em adquirir ao menos 500 mil doses da vacina. O restante seria enviado pelo Ministério da Saúde.

O antídoto mais viável até o momento, segundo Danielle Carmona, é a Coronavac, que atingiu 78% de eficácia nos testes feitos no Brasil, mas que ainda aguarda registro e autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser utilizado no país.

A Coronavac é desenvolvida pelo instituto Butantan, em São Paulo, justamente com a Sinovac – empresa biofarmacêutica de origem chinesa. Em razão da necessidade de registro pela Anvisa, ainda não há data para início das vacinações.

 
 

PLANO DE VACINAÇÃO

A secretária de saúde em exercício também informou que de toda a população mato-grossense (cerca de 3,5 milhões de pessoas), em torno de 19,8% (693 mil pessoas) irão tomar a vacina contra a Covid-19 em sua primeira fase de aplicação - quando ela estiver disponível.

Danielle Carmona revelou que esses 19,8% serão o grupo composto por idosos, profissionais da saúde e indígenas. Entre os mais velhos, a vacina também será dividida por faixa etária – primeiro os de mias de 80 anos, seguido pelos de 70 e, por fim, os de 60 anos.

Embora tenha interesse em adquirir 500 mil doses da Coronavac, a secretária da SES em exercício admitiu que o Governo do Estado espera que o Ministério da Saúde realize a aquisição e a distribuição das vacinas. Além do medicamento do Instituto Butantan, o Poder Executivo Estadual também conversa com outras farmacêuticas, bem como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para obter outros antídotos.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.