E-mail

contato@radardacidade.com.br

WhatsApp

............

Tropical - TOPO
RACISMO

MPF investiga morador de MT que "incentiva" morte de indígenas

Suspeito fez comentários favoráveis ao homicídio de indígenas na internet

29/12/2020 08h01
Por: Redação
Fonte: FolhaMax

A Procuradoria da República de Mato Grosso terá que apurar crime de racismo  praticado na internet contra indígenas no Estado. A decisão é da 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (MPF).

Ocorre que um morador de Mato Grosso fez comentários favoráveis ao homicídio de indígenas na internet. 

O MPF estava apurando o caso, mas a Procuradoria  pediu o declínio de competência ao Ministério Público Estadual, alegando que  não  é de atribuição do MPF a persecução penal do crime  de injúria racial.

O subprocurador-geral, Carlos Frederico Santos, relator do caso na 2ª Câmara, cita interpretação conjugada nos artigos 109 e 231, da Constituição Federal, onde destaca que é possível concluir ser da competência da União processar e julgar o caso.

 
 

"Isso porque enquanto a injúria racial consiste em ofender a honra de alguém se valendo de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem, o crime de racismo atinge uma coletividade indeterminada de indivíduos, discriminando toda a integralidade de uma raça, hipótese observada no caso em exame. Além disso, a conduta narrada foi praticada de forma generalizada contra indígenas", diz trecho do voto do relator.

"Da interpretação conjugada  dos arts. 109, Xl e 231, ambos da Constituição Federal, é possível concluir ser da competência da União processar e julgar não apenas as situações já consolidadas pela jurisprudência, como também outros crimes que violem a organização social, costumes, línguas, crenças e tradições indígenas. "Não homologação do declínio de atribuições. Devolução dos autos ao ofício originário para prosseguimento, facultando-se à Procuradoria da República oficiante, se for o caso, que, em fundamento em sua independência funcional, requeira a designação de outro membro para tanto, nos termos do Enunciado nº 03 do Conselho Institucional do Ministério Público Federal", diz outro trecho.  

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.