E-mail

contato@radardacidade.com.br

WhatsApp

(66) 99986-5406

Tropical - TOPO
DELAÇÃO DE RIVA

MPE investiga três empresas suspeitas de operar "mensalinho" na AL-MT

Promotor Mauro Zaque dá 15 dias para Legislativo prestar informações

13/10/2020 20h49
Por: Redação
Fonte: FolhaMax

O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) abriu investigação contra três empresas envolvidas no esquema no esquema que ficou conhecido como mensalinho na Assembleia Legislativa (ALMT). A portaria foi assinada pelo promotor Mauro Zaque de Jesus no dia 09 de outubro.

O inquérito pesa contra as empresas Uni Soluções em TI, a Intergraf EGP da Silva e a Sal Locadora de Veículos. Todas elas foram citadas na delação premiada do ex-deputado José Geraldo Riva.

 

O ex-parlamentar atualmente cumpre pena em regime domiciliar por ter chefiado vários esquemas de corrupção no legislativo estadual. “Considerando a necessidade de maiores informações a fim de instruir o presente caderno informativo, é necessária seja colhida informações sobre contratação e eventual pagamento efetuado à empresa citada, no período mencionado, bem como a remessa, pela AL/MT de informações e documentos pertinente”, citou o promotor. 

Conforme o FOLHAMAX noticiou anteriormente, os esquemas envolviam fraudes a licitações, pagamento de propina aos deputado estaduais entre os anos de 2003 e 2015. Riva confessou que tais esquemas desviaram mais  R$ 175,5 milhões ao longo de duas décadas, valores pagos a pelo menos 38 deputados em troca de “governabilidade".

 
 

Com 57 anexos de documentos físicos, o acordo de colaboração trouxe confissões de José Riva que nos 20 anos atuou como deputado (1995-2014). Ele detalha que boa parte do dinheiro vinha de contratos firmados com empresas de fachada que não entregavam produtos e serviços, mas recebiam os pagamentos autorizados por Riva, já que parte desses recursos era devolvido a ele, que repassava aos demais participantes das fraudes. 

Alguns servidores e chefes de setores envolvidos nas fraudes atestavam falsamente o recebimento dos materiais para justificar os pagamentos e emissão de notas.

Com isso, o MPE solicitou que no prazo de 15 dias úteis, a ALMT encaminhe contratos celebrados com as empresas, seus respectivos aditivos, prorrogações e processo de liquidações das despesas correspondentes.

“Oficie-se a Presidência da AL/MT, via PGJ, e solicite, no prazo de 15 (quinze) dias úteis, que nos encaminhe os contratos celebrados com a Empresa Uni Soluções em TI, e seus respectivos aditivos, prorrogações, processo de liquidações das despesas correspondentes, contendo nota fiscal (material ou serviço), atestados de recebimento ou equivalente, com a identificação do servidor responsável, empenhos e pagamentos, com as notas de ordens bancárias, cheques, etc., bem como demais documentos relativos ao objeto do presente, que entender pertinentes”, conclui. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.