E-mail

contato@radardacidade.com.br

WhatsApp

(66) 99986-5406

Tropical - TOPO
CONTAS DE CAMPANHA

Candidatos movimentam R$ 1,64 mi em Cuiabá; advogada lidera arrecadação

Candidato a reeleição, Emanuel Pinheiro declarou receita de apenas R$ 10 mil

12/10/2020 14h12
Por: Redação
Fonte: FolhaMax

Com pouco mais de 15 dias nas ruas, a campanha para prefeitura de Cuiabá em 2020 já movimentou R$ 1,643 milhão. O valor é o somatório das receitas de cada um dos 8 postulantes ao Palácio Alencastro. Os dados foram disponibilizados pelo sistema DivulgacandContas, do Tribunal Superior Eleitoral. 

Com R$ 1 milhão, a advogada Gisela Simona (Pros) foi a que mais recebeu recursos para sua campanha eleitoral. Do montante, R$ 900 mil foram injetados pelo Partido Republicano da Ordem Social. A candidata recebeu ainda uma doação no valor de R$ 100 mil feita pelo também advogado e candidato ao Senado, Euclides Ribeiro Júnior (Avante).

Ambos fazem parte da coligação “Mãos Limpas por Cuiabá”. Apesar do valor expressivo, a candidata ainda não declarou à Justiça Eleitoral de que forma o dinheiro está sendo usado.  

O segundo “mais rico” em recursos foi o ex-juiz Julier Sebastião (PT), que recebeu R$ 327 mil do diretório nacional do Partido dos Trabalhadores. Assim como Gisela, o candidato também não registrou gastos com a campanha.  

 
 

Já o comunicador Roberto França (Patriotas) não recebeu recursos de seu próprio partido. O comunicador declarou dispor de R$ 200 mil para divulgar seu nome na empreitada política. O valor é oriundo de uma doação realizada pela direção nacional do Democratas, partido do candidato a vice, Marcelo Bussiki. Nenhum gasto foi declarado ainda. 

O empresário Paulo Henrique Grando (Novo), recebeu R$ 35.980,00. Destes, R$ 16.980 mil foram transferidos pelo empresário Alvani Manoel Laurindo, R$ 10 mil foram cedidos por Ivo da Costa de Oliveira, R$ 6 mil pelo diretório do Novo em Cuiabá e R$ 3 mil do próprio candidato. 

Entre as despesas detalhadas, consta um contrato de gestão de mídia sociais no valor de R$ 4 mil vinculado com o publicitário Raniéder Medina Rocha, R$ 7 mil para aluguel de veículos e R$ 2.465,50 com a empresa P. N. D. CAIRES, que fez a impressão de adesivos, santinhos e praguinhas. 

O vereador Abílio Junior (Podemos) também não teve investimentos do próprio partido. No entanto, recebeu R$ 36 mil em doações de terceiros. Dos valores, R$ 10 mil foram transferidos Maxwel Silva Alves, R$ 10 mil por João José de Miranda Neto, R$ 10 mil pelo Gustavo de Tarcio Correa Nascimento e outros R$ 6 mil por Luis Fernando Medeiros Lima. 

O advogado Aécio Rodrigues conta com R$ 35 mil para fazer sua campanha na capital. Desses, R$ 5 mil foram doados por ele próprio. Já o montante expressivo de R$ 30 mil foi transferido pela direção estadual do Partido Social Liberal (PSL). Ele ainda não detalhou despesas. 

Já o prefeito e candidato à reeleição Emanuel Pinheiro (MDB) é, até o momento, o mais “pobre” na disputa em relação a recursos para a campanha.  O atual chefe do Executivo declarou dispor de apenas R$ 10 mil para alavancar sua recandidatura ao Alencastro.   

O valor é referente a uma doação realizada pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), que integra sua chapa na coligação “A mudança merece continuar”. O prefeito cuiabano ainda não declarou de que forma usou o dinheiro no pleito. 

O candidato Gilberto Lopes Filho (PSOL) é o único que ainda não divulgou receitas ou despesas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.