E-mail

contato@radarmt.com

WhatsApp

(66) 99986.5406

GOV MT - TOPO - 728 X 90 - MAIS MT
Tropical - TOPO
Paraná

​Cadeias Públicas de Paraíso do Norte e Barbosa Ferraz são desativadas

Cerca de 80 presos foram transferidos para a unidade prisional de Campo Mourão. Medida é parte do plano que prevê a desativação de 41 carceragens d...

04/05/2021 16h16
Por: Redação
Fonte: Secom Paraná

A secretaria estadual da Segurança Pública, por meio do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), concluiu nesta terça-feira (04) a transferência de todos os presos das Cadeias Públicas de Paraíso do Oeste Noroeste e Barbosa Ferraz (Centro-Oeste) para a recém-inaugurada Cadeia Pública de Campo Mourão II. Com esta ação, as duas cadeias serão desativadas.

A mudança é parte do planejamento estratégico da Secretaria da Segurança Pública iniciado no final de 2020 e que prevê a desativação de 41 carceragens de delegacias e o fechamento definitivo em 15 municípios de todo o Estado. 

Segundo o secretário da pasta, Romulo Marinho Soares, a medida contribui com a proteção dos moradores locais, propiciando um novo fluxo de trabalho à região. “Estas transferências são muito importantes para o desempenho das atividades dos policiais civis, uma vez que, liberados do cuidado dos presos, podem dedicar-se integralmente aos serviços de investigação e elucidação de crimes”, disse.

A ação em Barbosa Ferraz e Paraíso do Norte movimentou aproximadamente 80 presos e contou com emprego de aparato de segurança, envolvendo agentes do Setor de Operações Especiais de Maringá e, também, o apoio de policiais civis da 8ª Subdivisão Policial (SDP) de Paraíso do Norte e de Cianorte.

A transferência foi possível em função da inauguração, em dezembro de 2020, da nova unidade do Depen, a Cadeia Pública de Campo Mourão II, que ampliou em 382 vagas o Sistema Penitenciário. O investimento na unidade foi de R$ 12,3 milhões.

Para o coordenador regional do Depen em Maringá e Cruzeiro do Oeste, Luciano Brito, este tipo de ação possui um impacto positivo na ressocialização da população carcerária. "A implantação de unidades novas viabiliza que haja melhor aplicação dos efetivos, elevando os níveis de segurança na custódia. Além disso, contribuem para uma melhor execução penal, a gestão e efetividade em programas de ressocialização", afirma.

A ação de transferência de presos continua nos próximos dias na região, com mais duas cadeias de jurisdição da Regional de Maringá e Cruzeiro do Oeste que serão desativadas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.